Categoria: Emagrecimento

O plano de treino de 4 semanas para perder peso e queimar gordura da barriga   s

O plano de treino de 4 semanas para perder peso e queimar gordura da barriga

9 Lavagem de Rosto para Combate à Acne Pós-Treino para Homens
As pranchas do lado da fileira do haltere que farão seu Abs dorido como o inferno
Obtenha cetose mais rapidamente, mantenha a cetose por mais tempo com as verdadeiras cetonas
Quais são os melhores kits de DNA para fitness?
Tão Longo, Pós! Proteína Crunchies é uma nova maneira divertida de obter o seu Fix Proteína
Mais do que vitaminas: obtenha um bem-estar natural e orgânico na vitamina Lucky
Todas as histórias

Leia também: Cromofina funciona
Mais videos
Nike Metcon Flyknit 3
Acertar o ginásio no melhor novo equipamento de treino de 2019 (até agora)
A diferença entre bourbon e uísque
Aqui está a diferença entre Bourbon e uísque
Nos bastidores da coroa e do calibre
Dentro do laboratório: Crown & Caliber, a loja on-line de relógios de luxo
Às vezes, quando você está tentando perder peso, abre uma nova janela. , o maior desafio para adotar uma perda de peso Abre uma nova janela. plano de treino é encontrar um regime que se encaixa perfeitamente em sua vida. Muitos caras que estão tentando perder peso tentam programas de treino absolutamente absurdos que exigem toneladas de equipamentos especializados ou instrução, mas desistem meses depois porque é muito difícil manter o ritmo.

Mas perder peso não deve ser complicado. É por isso que criamos um programa de exercícios de queima de calorias de quatro semanas que você pode fazer praticamente em qualquer lugar – em ambientes fechados ou ao ar livre, em casa ou na academia, em uma pista ou em sua garagem – com apenas equipamentos mínimos.

E lembre-se: se você está empenhado em perder peso, precisa se comprometer com o programa de nutrição adequado. Abre uma nova janela. . Você não pode fazer dieta ruim Abre uma nova janela. . Concentre-se nos 13 melhores alimentos para perda de peso Abre uma nova janela. e confira nosso plano de refeição de queima de gordura de quatro semanas. Abre uma nova janela. .

Como funciona este programa de treino
Este programa de treino envolve pesos e corrida Abre uma nova janela. , mas a ênfase aqui é em treinos rápidos, cada vez mais difíceis, entre 30 e 60 minutos. Estes exercícios irão ajudá-lo a acelerar o seu metabolismo. Abre uma nova janela. e, quando combinado com uma nutrição melhorada, ajuda a perder peso. Ao longo do caminho, você melhorará a força, a mobilidade, a estabilidade e a resistência geral.

É por isso que começaremos cada uma dessas sessões quatro vezes por semana com cinco minutos de preparação do movimento para melhor imitar os movimentos da vida cotidiana, melhorar a flexibilidade e a mobilidade e reduzir o risco de lesões. E, claro, servirá como um aquecimento para o próximo treino.

instruções
Os quatro treinos permanecerão consistentes ao longo das quatro semanas, mas aumentaremos o grau de dificuldade adicionando conjuntos, repetições, distância, tempo ou uma combinação dos quatro. Você deve trabalhar quatro dias por semana (idealmente na segunda, terça, quinta e sexta-feira) e designar quarta-feira como uma recuperação ativa.

Mantenha seus finais de semana livres. Devemos notar, no entanto, que qualquer programa de perda de peso deve incluir alimentação saudável, mínimo ou nenhum álcool, e um estilo de vida ativo de esportes e atividades ao ar livre que complementarão seu trabalho durante a semana.

Fonte: https://www.valpopular.com/cromofina-funciona/

Os 20 alimentos mais amigáveis ​​para a perda de peso do planeta

Os 20 alimentos mais amigáveis ​​para a perda de peso do planeta

A Healthline e nossos parceiros podem receber uma parte das receitas se você fizer uma compra usando um link nesta página.
Nem todas as calorias são criadas iguais.

Diferentes alimentos passam por diferentes vias metabólicas em seu corpo.

Eles podem ter efeitos muito diferentes sobre a sua fome, hormônios e o número de calorias que você queima.

Aqui estão os 20 alimentos mais amigáveis ​​para a perda de peso do planeta que são apoiados pela ciência.

1. Ovos Inteiros
Uma vez temido por ser rico em colesterol, ovos inteiros têm feito um retorno.

Embora uma alta ingestão de óvulos aumente os níveis de colesterol LDL “ruim” em algumas pessoas, eles são um dos melhores alimentos para comer se você precisar perder peso. São ricos em proteínas e gorduras e são muito saciantes (1, 2).

Um estudo em 30 mulheres com excesso de peso mostrou que comer ovos no café da manhã, em vez de bagels, aumentou a sensação de plenitude (saciedade) e fez com que os participantes comessem menos nas próximas 36 horas (3).

Outro estudo de oito semanas descobriu que os ovos no café da manhã aumentavam a perda de peso em uma dieta com restrição calórica, comparados aos bagels (4).

Os ovos também são incrivelmente ricos em nutrientes e podem ajudá-lo a obter todos os nutrientes necessários em uma dieta com restrição calórica. Curiosamente, quase todos os nutrientes são encontrados nas gemas.

RESUMO
Os ovos são muito recheados e densos em nutrientes. Em comparação com carboidratos refinados como bagels, os ovos podem suprimir o apetite no final do dia e podem até mesmo promover a perda de peso.
2. Verdes Frondosos
Verdes folhosos incluem couve, espinafre, couve, acelga e alguns outros.

Eles têm várias propriedades que os tornam perfeitos para uma dieta de emagrecimento, como ser pobre em calorias e carboidratos e carregados com fibras.

Comer verduras é uma ótima maneira de aumentar o volume de suas refeições, sem aumentar as calorias. Numerosos estudos mostram que refeições e dietas com baixa densidade energética fazem com que as pessoas comam menos calorias no geral (5).

O verde também é incrivelmente nutritivo e muito rico em muitas vitaminas, antioxidantes e minerais, incluindo o cálcio, que tem demonstrado ajudar na queima de gordura em alguns estudos (6).

RESUMO
Verdes são um excelente complemento para sua dieta de perda de peso. Não só eles são baixos em calorias, mas também ricos em fibras que ajudam a mantê-lo satisfeito.
3. Salmão
Peixe gordo como o salmão é incrivelmente saudável e muito satisfatório, mantendo-o cheio por muitas horas com relativamente poucas calorias.

O salmão é carregado com proteína de alta qualidade, gorduras saudáveis ​​e vários nutrientes importantes.

Peixes – e frutos do mar em geral – também podem fornecer uma quantidade significativa de iodo.

Este nutriente é necessário para a função tireoidiana adequada, o que é importante para manter o metabolismo funcionando de maneira ideal (7).

Estudos mostram que um número significativo de pessoas não preenche suas necessidades de iodo (8).

O salmão também é carregado com ácidos graxos ômega-3, que demonstraram ajudar a reduzir a inflamação, que é conhecida por desempenhar um papel importante na obesidade e na doença metabólica (9, 10).

Cavala, truta, sardinha, arenque e outros tipos de peixe gordo também são excelentes.

RESUMO
O salmão é rico em proteínas e ácidos graxos ômega-3, tornando-se uma boa opção para uma dieta saudável para perda de peso.
4. Vegetais Crucíferos
Os vegetais crucíferos incluem brócolis, couve-flor, couve e couve de Bruxelas.

Como outros vegetais, eles são ricos em fibras e tendem a ser incrivelmente cheios.

O que é mais, estes tipos de vegetais geralmente contêm quantidades decentes de proteína.

Eles não são tão ricos em proteínas como alimentos de origem animal ou legumes, mas ainda são altos em comparação com a maioria dos vegetais.

Uma combinação de proteína, fibra e baixa densidade de energia torna os vegetais crucíferos os alimentos perfeitos para incluir em suas refeições, se você precisa perder peso.

Eles também são altamente nutritivos e contêm substâncias que combatem o câncer (11).

RESUMO
Os vegetais crucíferos são baixos em calorias, mas ricos em fibras e nutrientes. Adicioná-los à sua dieta não é apenas uma excelente estratégia de perda de peso, mas também pode melhorar sua saúde geral.
5. Carne magra e peito de frango
A carne foi injustamente demonizada.

Tem sido culpado por vários problemas de saúde, apesar da falta de boas evidências para sustentar essas afirmações negativas.

Embora a carne processada não seja saudável, estudos mostram que carne vermelha não processada não aumenta o risco de doença cardíaca ou diabetes (12, 13).

Leia também: Womax funciona

De acordo com dois grandes estudos de revisão, a carne vermelha tem apenas uma correlação muito fraca com o câncer em homens e nenhuma correlação em mulheres (14, 15).

A verdade é que a carne é um alimento amigo da perda de peso porque é rico em proteínas.

A proteína é de longe o nutriente mais abundante, e comer uma dieta rica em proteínas pode fazer com que você queime até 80-100 calorias a mais por dia (16, 17, 18).

Estudos mostraram que aumentar sua ingestão de proteínas para 25% das calorias diárias pode reduzir o apetite em 60%, reduzir seu desejo por lanches noturnos pela metade e causar perda de quase 0,45 kg por semana (19, 20). ).

Se você está em uma dieta baixa em carboidratos, sinta-se livre para comer carnes gordas. No entanto, se você estiver em um moderado para h

Fonte: https://www.valpopular.com/womax-funciona/

Existe até uma melhor dieta para o emagrecimento?

Existe até uma melhor dieta para o emagrecimento?

Melhores dietas para perda de gordura
Digite ‘a melhor dieta para perder peso’ no Google e ele retornará aos 310 milhões de resultados.

Isso é muito para levar quando os resultados que você realmente quer não estão na tela, mas na composição corporal.

⚠️ Quer criar um corpo para a vida através de um estilo de vida que você ama? Pense em ‘dieta’ no sentido tradicional da palavra, você sabe, o tipo de comida que você come a maior parte do tempo. E é isso – o que você faz diariamente, não por uma semana em janeiro – que faz a diferença real.

Mas como você pode discernir os planos alimentares saudáveis ​​e sustentáveis ​​daqueles que são tudo menos?

HISTÓRIA RELACIONADA
Plano saudável simples do treinador do corpo
Experimente: O Simple Healthy Eating Plan do The Body Coach
Bem, WH fez o trabalho duro por você.

Chamamos os especialistas para classificar as reivindicações dos ganhos. Considere esta sua folha de berço para descobrir a melhor dieta de 2019 para você (e soltando bombas de conhecimento sobre o seu parceiro de bem-estar de smuggest).

As melhores dietas para experimentar – e quais evitar
1. A Dieta Pegan
O que você ganha se você cruzar um homem das cavernas com um vegano? Não é uma piada de mau gosto, mas a dieta Pegan. Um amálgama de uma dieta vegana (à base de plantas) e paleo (se um homem das cavernas não comeu, então você também não), fornece todos os antioxidantes, fibras e gorduras saudáveis ​​que você espera de um plano baseado em plantas, com todos a proteína de um carnívoro.

Refeição típica: Frango grelhado com salada de cinco cores.

O que o defensor da dieta diz: A idéia do Dr. Mark Hyman, ele surgiu com o conceito depois de encontrar-se imprensado entre um vegano e um defensor paleo ao fazer uma palestra. ‘As melhores versões de ambas as dietas são incorporadas à base: coma alimentos reais e integrais’, diz ele.

O que o especialista diz: ‘Esta dieta tem muitos aspectos positivos – sabemos que as integrais são saudáveis ​​para o coração e uma importante fonte de fibras’, diz Tew. ‘Mas também elimina o glúten e restringe todos os grãos, dificultando a permanência e a insustentabilidade a longo prazo.’

Veredicto de WH: Embora seja improvável que seja popular entre aqueles que escolheram um estilo de vida baseado em plantas por razões éticas, o princípio de comer alimentos verdadeiros e integrais é sólido. E combinar duas maneiras de comer certamente torna mais fácil obter proteína e nutrientes vitais suficientes. Mas ainda é bastante restritivo, por isso, consulte um profissional de nutrição para se certificar de que não corre o risco de ter deficiências nutricionais.

HISTÓRIA RELACIONADA
imagem
10 melhores exercícios de peso livre para mulheres
2. A Dieta Mediterrânica
Massas, peixe, azeite. Mamma mia! A Dieta Mediterrânea é assim chamada porque incorpora hábitos de vida saudáveis ​​dos países que fazem fronteira com a Med, como Itália, Espanha e Grécia. É consistentemente no topo da lista quando se trata de dietas recomendadas pela medicina ocidental e é semelhante ao Guia Eatwell da Public Health England.

Refeição típica: Peixe frito com arroz integral e legumes

O que o defensor da dieta diz: ‘Os principais componentes de uma dieta mediterrânea são muitos vegetais, azeite, peixes gordurosos e nozes, sem restrições calóricas. Combine isso com a redução do açúcar, que era tradicionalmente uma raridade na região, e você tem a base da dieta mediterrânea, e se você acertar na base você pode comer um pouco do que você quiser ”, diz o cardiologista Aseem Malhotra.

O que o especialista diz: ‘Há uma grande quantidade de evidências para sugerir que, após o MD, você reduz o risco de doenças cardiovasculares’, diz Kirsty Barrett, porta-voz da Dietitian and British Dietetic Association. ‘Significativamente, uma meta-análise de ensaios de controle randomizado em 2011 descobriu que a DM era efetiva para perda de peso, embora os resultados fossem melhores quando a dieta foi combinada com restrição de energia e atividade física. Verificou-se também que reduz o LDL (mau colesterol) mais do que as dietas com baixo teor de gordura e com baixo teor de hidratos de carbono. »

Leia também: Womax Gel lipo funciona

Veredicto da WH: Uma dieta gastronômica que oferece metas naturais de longo prazo para a saúde ganha nosso voto. Comer o arco-íris significa que você também não perderá nenhum nutriente vital. Vitória vencedora

imagem
3. FODMAP
Embora possa ter sido trazido à sua atenção pelo seu parceiro com o tee ‘Kale 4 lyf’, saiba que o FODMAP não é uma dieta para perda de peso. O acrônimo descreve um grupo de carboidratos de cadeia curta que, quando eliminados, melhoram os sintomas de portadores de SII e devem ser seguidos apenas sob a supervisão de um nutricionista.

Refeição típica: robalo com legumes

O que o defensor da dieta diz: ‘Os FODMAPS são absorvidos lentamente do intestino delgado ou não absorvidos’, diz Gibson, professor de gastroenterologia da Monash University, em Melbourne, Austrália, e o cérebro por trás da dieta com baixo teor de FODMAP. ‘Quando os FODMAPs entram no intestino, onde são fermentados por bactérias, isso produz gás e também pode levar a água a entrar no intestino. Isso alonga a parede do intestino, que estimula o intestino.

O que o especialista diz:

Revelamos 8 inimigos secretos do emagrecimento

Revelamos 8 inimigos secretos do emagrecimento

Atenção, atenção: há fundamento científico na lamentação “está cada vez mais difícil emagrecer”.

Isso significa que os índices crescentes de obesidade são sim formados por uma população cada vez mais afetada pelos males do sedentarismo, ludibriada pela indústria da dieta, no alvo de doenças graves ligadas ao excesso de quilos – como diabetes, câncer e infarto – mas que também enfrenta mais percalços para perder peso do que no passado.

Saiba mais: site de emagrecimento

É o que revela a análise de 36 mil dados, feita pelo Instituto Canadense de Pesquisa em Saúde. Para chegar aos resultados, os pesquisadores avaliaram o perfil nutricional de duas gerações.

As estatísticas mostram que a mesma ingestão calórica deixou o peso dos jovens de 2008 – a chamada geração Y – 10% maior quando comparado com o dos jovens do ano 1971.

O mesmo fenômeno foi registrado na análise da variável “atividade física”. Os mais novos de atualmente, vejam só, tiveram o peso acrescido em 5%, mesmo praticando exercícios físicos com a frequência idêntica do que os da década de 70.

Em um primeiro momento, isso pode indicar que as calorias contemporâneas “pesam” mais do que as calorias que frequentaram os bailes de três décadas atrás….

Porém, preciso dizer, é bem mais do que isso.

No relatório de hoje, os consultores da Jolivi – seu canal eletrônico de saúde natural – revelam que há mais fatores que sustentam a obesidade e que comprometem o emagrecimento.

Uma Caloria não é igual a uma Caloria. E isso pode ser decisivo.

Sabotagem
Uma reflexão antes de mais nada.

O médico Leonardo Aguiar, cirurgião plástico e nosso consultor, explica que a obesidade, atendendo aos interesses do padrão de consumo, foi alçada a um problema que só poderá ser solucionado com ações radicais, com pílulas milagrosas ou cirurgias transformadoras.

Isso – alerta Dr. Leonardo – afastou as pessoas das informações efetivas que auxiliam na manutenção ou recuperação do peso saudável.

“O que sabota o emagrecimento é a agravante em acreditar que o gerenciamento dos quilos em excesso precisa ser terceirizado para uma espécie de varinha de condão”.

Ainda que alguns recursos do tipo “o adoçante que é gostoso como açúcar”, “a barra de cereal saudável e gostosa” e o “shake que vale uma refeição” tenham invadido as casas das pessoas, os gráficos mostram que estas estratégias não têm conseguido deter os índices de obesos no País.

Picture1

Para saber se você sucumbiu a estes artifícios – que parecem te encorajar ao emagrecimento, mas que de alguma forma te mantém às voltas com a obesidade – há uma forma simples.

Responda às perguntas abaixo (com sinceridade):

– Quantas dietas da moda você já consumiu com promessas mirabolantes e sem resultados efetivos?

– Quantos alimentos você já deixou de comer por terem má fama no processo de emagrecimento e o resultado não foi apresentado nos ponteiros da balança?

– Por outro lado, quantos produtos industrializados que parecem alinhados à vida saudável você consome sem nem questionar o que são os nomes impronunciáveis que aparecem no rótulo?

Amigos secretos #sqn (só que não, na linguagem virtual)
É verdade que a obesidade, não raro, é uma condição de profundo sofrimento, que pode desencadear isolamento social e exigir apoio de recursos externos para ser combatida.

Isso não significa, no entanto, que o processo de emagrecimento precisa ser extirpado das mãos de quem deseja emagrecer.

Porém, é necessário urgentemente inverter a lógica que reina no controle da obesidade.

Isso porque, explica a nutricionista Denise Carreiro, especializada em alimentação terapêutica e profunda conhecedora dos poderes dos nutrientes, a medicina tradicional costuma disseminar que a saúde é uma das sequelas naturais do emagrecimento.

Nesta visão, o excesso de peso permanece sendo abordado como um problema de excessos: excesso de consumo de comida e até excesso de desleixo com a alimentação.

Mas a experiência de mais de 20 anos de prática clinica mostrou à Denise que a obesidade é principalmente um problema desencadeado pela CARÊNCIA nutricional.

Em assim sendo, primeiro você precisa resgatar a saúde. Para então iniciar um emagrecimento duradouro e compatível com o seu biotipo.

Dr. Roberto Franco do Amaral Neto, também especializado em emagrecimento saudável, complementa que é preciso disseminar os caminhos que, de fato, contribuem para o emagrecimento e revelar quais orientações nutricionais já mostraram mais atrapalhar do que ajudar nesta problemática chamada obesidade.

Ao mesmo tempo, é urgente fortalecer a mensagem de que o excesso de peso e a manutenção da obesidade como uma questão social é um “sintoma” do estilo de vida que nos cerca, enraizado em nossa história familiar e também resultante de nossas escolhas ao longo da vida.

Com todo este contexto, nossa equipe listou os 8 fatores inesperados – para a maioria de nós – associados ao peso nocivo para a saúde.

São informações importantes, totalmente conectadas à vida real.

Elas foram feitas com base nos ensaios científicos e também levando em conta a experiência do nosso time de consultores.

Antes de revelar quais são os inimigos secretos da dieta, vale mais informação: a Jolivi oferece toda semana recomendações importantes sobre a forma de proteger a saúde naturalmente. Nossa posição independente permite o compartilhamento destes dados que, nem sempre, frequentam os consultórios clínicos e os informes tradicionais. Vale à pena continuar conosco e convidar mais gente para participar desta turma.

Chegou a hora da revelação dos inimigos da dieta:

1) Barras de cereais, bolachas e biscoitos fit
São alimentos que passam a falsa percepção de saudáveis, estimulando o consumo por vezes excessivo. Muitas vezes são produzidos com gorduras trans, ingrediente nocivo e pró inflamatório, que agrava o estado de inflamação já causado pela obesidade no organismo. Além disso, boa parte destes produtos industrializados disponíveis no mercado é rico em frutose industrializada (HFGS). Ela é um tipo de açúcar mascarado – que favorece o acúmulo de gordura no fígado e estimula a produção de insulina – o que é um risco extra para quem já está próximo de problemas como diabetes. Prefira as frutas in natura ou as secas. Cenouras, pepinos e tomates cereja, fáceis de carregar em pequenos recipientes, também são boas opções.

2) Refrigerantes e sucos diet ou light e zero caloria
O sabor doce do produto diet ou light engana seu cérebro. O paladar ao sentir o gosto adocicado envia a mensagem de que algo calórico está sendo consumido. Quando isso não ocorre, o apetite é estimulado, ainda que algumas horas depois. Alguns estudos mostram que o obeso que usa muito produtos diets acaba comendo mais ao fim do dia. Além disso, essa forma artificial de adoçar os líquidos pode resultar em disbiose intestinal, que é uma alteração na população de bactérias que habitam nosso intestino. Isto faz com que mais bactérias “más” do que “boas” morem em nosso órgão e pode se manifestar com prisão de ventre, intestino solto, dor abdominal, alergias de repetição , enxaqueca e má digestão. É no intestino que ocorre a maior parte da produção de serotonina, conhecida como substância da felicidade e do bem-estar. Com menos serotonina, ficamos mais ansiosos e buscaremos “conforto” em alimentos doces. Por isso, evite estes produtos. Para a sede, ainda não inventaram nada melhor do que a água.

3) A contagem de calorias
Contar calorias é um hábito disseminado como fundamental no emagrecimento, mas que não leva em consideração outras inúmeras variáveis que podem impactar diretamente na queima de gordura. Por exemplo: 100 kcal de uma barra de cereal estimula em demasia a produção de insulina – que favorece estoque de gordura no corpo – sem resultar em sensação de saciedade. Ao mesmo tempo, 100 kcal de abacate agem de forma completamente oposta, liberando menos insulina e favorecendo a saciedade. Mais importante do que o valor calórico do alimento, é como o nutriente que o compõe se comporta no nosso corpo. Fica muito claro quando comparamos 100 kcal de um brigadeiro com 100 kcal de uma laranja. Os dois são iguais? Posso optar entre ele então se quero emagrecer? Com o mesmo valor calórico, sabemos que a laranja tem fibras e nutrientes e isso não favorecerá a compulsão e o armazenamento de gordura, como ocorre com brigadeiro. Outra variável desconsiderada na contagem de calorias é o efeito térmico do alimento. Isto é: quanto de energia o organismo gasta para metabolizar aquele nutriente. Quando bebemos 100 kcal de 1 copo de refrigerante, não precisamos mastigar e nem digerir o alimento. O carboidrato existente neste produto (carboidrato é um outro nome para açúcar) não precisará ser quebrado em outras fontes de energia, não exigindo nenhum trabalho do corpo. Situação muito diferente ocorre para a digestão de 100 Kcal de banana ou 100 kcal carne.

4) A insistência em excluir a gordura da dieta
Gordura trans continua sendo vilã da saúde, mas tiranizar qualquer nutriente não é bom para emagrecer. As gorduras saturadas de alimentos naturais, por exemplo, estão se mostrando benéficas à saúde, segundo os novos estudos, ao contrário do que se propagou nas últimas décadas. A demonização da gordura da nossa alimentação fez com que naturalmente comêssemos menos gorduras e proteínas. Isso causou um desequilíbrio nutricional. Passamos a comer bem mais carboidratos (outro nome para açúcar, parece repetitivo, mas vale reforçar). Além disso a indústria alimentícia – se valendo desta percepção de que gordura amplia doença cardiovascular (que depois se mostrou infundada) retirou-a de alimentos como iogurtes e leites (os famosos 0% de gordura). No entanto, para manter o sabor, foi necessária a introdução de mais carboidratos – muitas vezes chamados de outros nomes como “frutose industrializada”. O consumo de gorduras saturadas é fundamental para a dieta saudável, porque exige menos produção de insulina e amplia a saciedade. O ideal é dosar carboidrato, proteína e gordura, em doses equilibradas, em todas as refeições.

5) A insistência em incluir o suco de laranja ou de uva na dieta
Outros dois alimentos que parecem extremamente saudáveis, mas que não é bem assim. Uma laranja tem 5 g de frutose e além disso possui fibras. Ao mastigarmos a fruta in natura, ativamos o metabolismo e favorecemos a saciedade por meio da liberação de uma substância chamada leptina. Já 200 ml de suco de laranja precisam de 4 a 5 laranjas para serem produzidos, o que corresponde de 20 a 25 g de frutose. Neste processo, perde-se as fibras e anula-se a mastigação, sem a produção da substância da saciedade. Já o suco de uva tem 30 g de frutose em 200 ml, o que corresponde a quase 1 kg de uva. Você comeria esta quantidade de uva em alguns segundos? Da mesma forma, seu pâncreas e fígado não estão preparados para receber tanto carboidrato (frutose) de uma vez.

6) Esquecer do combate ao cansaço
Não é possível vencer a epidemia da obesidade sem combater o cansaço. Quando estamos em um contexto favorável à exaustão, as duas glândulas adrenais ou suprarrenais – que estão instaladas logo acima dos rins – são afetadas diretamente. Os sintomas se dão em um processo em cadeia. Ao mesmo tempo em que o sedentarismo pode ser um gatilho do cansaço crônico, o cansaço crônico, por sua vez, também mina a disposição para a atividade física. Além disso, quando estamos cansados, nosso paladar tende a buscar alimentos calóricos em uma tentativa de recuperar a energia. Mas isto não ajudará em nada. Ficamos com ainda mais vontade de doces, guloseimas, refrigerantes açucarados e carboidratos refinados, fomentando o processo de ganho de peso. A orientação é investir em comida que combate o cansaço (comida in natura) e restringir o açúcar e os enlatados.

7) A fuga dos exercícios
Atividades se mostraram mais eficientes para emagrecer pois exigem um maior gasto energético nas horas seguintes do exercício – situação conhecida como EPOC do inglês Excess Post-Exercise Oxygen Consumption ou excesso de consumo de oxigênio pós-exercício. Duvidava do “emagreça dormindo”? Então, é quase isso. Quanto maior o EPOC maior o emagrecimento no fim do dia e isso independe das horas que você passa se exercitando.

8) Usar smartphones à noite
Por ser tão brilhante, a luz azul é amplamente usada em quase todos dispositivos de LED, incluindo smartphones, tablets, notebooks e TVs. O problema é que esta iluminação à noite interfere na qualidade e quantidade do sono. O componente desta iluminação suprime produção de melatonina, substância que, além de nos ajudar a dormir, também tem uma influência muito grande sobre a saúde em geral. As pesquisas já mostram que os efeitos vão além da insônia. A luz nos diz quando acordar e quando dormir. Quando a luz azul brilhante do aparelho eletrônico envia um sinal para que o cérebro pare de produzir melatonina, é desencadeada uma confusão no relógio biológico (imagina dar aquela olhada demorada no celular no meio da madrugada). Este processo afeta a termo regulação do organismo, podendo aumentar a pressão arterial, a resistência à insulina e a manutenção da obesidade. Isso não significa que o uso da luz azul é maléfico o tempo todo. Às vezes, é realmente benéfica para a sua saúde, até para preparar o cérebro para a hora do sono. Por isso, reserve a utilização destes aparelhos para o período da manhã e tarde. E não esqueça da exposição à luz solar, que ajuda na metabolização da vitamina D, um importante anti-inflamatório natural que auxilia também na redução do peso.